A Disfunção e a Cura

A história a seguir é de um cara que veio a entrar em contato conosco para contar um pouco das chateações que ele teve com a disfunção erétil. Em respeito ao nosso amigo, não vamos dar o nome dele, mas a história que ele passou para nós com certeza bate com a de muitos homens por aí que sofrem com esse problema constante. Vamos conhecer a trajetória do nosso amigo e como você pode resolver essa questão de uma forma tranquila.

“Tudo começou em uma noite como outra qualquer. O cansaço na firma bateu forte, mas como nunca fui de deixar a patroa na mão, cheguei junto como quem não quer nada, e aos poucos deixando claro minhas intenções. Até ali, nada de muito diferente do habitual. Mas por alguma razão, comecei a sentir um desconforto estranho.”

“Logo descobri o que tava acontecendo. E minha mulher, de uma forma desanimadora, também. Nada levantava: carícias, beijos, toques mais diretos. Simplesmente não funcionava, e a noite que prometia ser um pouco melhor que o dia de firma estressante, se tornou broxante. Em todos os sentidos. E as noites seguintes também...”

Eu sei o que deve estar passando pela sua cabeça ao ler um pouquinho da história do nosso amigo aí em cima. “Borracha Fraca” e “Broxa” são alguns dos nomes que devem ter passado para nomear a situação que um homem com disfunção erétil passa. E pode falar mal o bastante, até o dia em que acontece com você mesmo. Disfunção Erétil é algo que deve ser levado a sério quando identificada, e se você não quiser mais complicações, é bom procurar ajuda.

Igual ao que o nosso amigo fez depois.

A Identificação do Problema

“As semanas seguintes foram um inferno. Além do firma ser ainda mais irritante e cansativo, a mulher começou a me tentar sobre buscar ajuda, sobre entender o que tá acontecendo comigo. Mas eu sabia que não tinha nada, só dias ruins. E mesmo assim, nada funcionava.”

“A rotina continuou seguindo dessa forma até o dia que ela simplesmente se negou a me dar até o carinho típico de quando chego do firma. Disse que estava cansada também, e que não estava de bom humor. Reclamei das justificativas, e acabamos discutindo um monte. Ela nem precisou me mandar para o sofá – fui por conta própria.”

“Levou um tempo até aceitar a ideia de ir procurar um médico. É um saco ter que admitir para si mesmo que estava com um problema de disfunção erétil ao invés de me enganar com a impressão de ser só uma fase. Tem coisa que você não pode sair contando por aí com medo de ser humilhado, e não queria correr esse risco.”

“Fui ao médico, que tratou o assunto com toda a discrição que precisava. Por um momento, fiquei até mais confiante que tudo se resolveria de uma forma mais amena. Mas não foi bem isso que aconteceu... Respondi algumas perguntas feitas pelo doutor, que sem muita cerimônia me indicou um medicamento que melhoria meu desempenho sexual.”

“Na hora vi como uma ótima saída, já que seria rápido e tranquilo. Funcionou por um tempo, já que eu e minha esposa paramos de discutir por um tempo e as noites até ficaram mais animadas. Não levou muito tempo até entender que estava preso numa bela armadilha.”

Sejamos francos. Medicamentos como aqueles da pílula azul e similares podem ser uma solução até definitiva, mas pare um pouco e pense: vale mesmo a pena você gastar grande constantemente com um medicamento que vai afetar seu corpo ao longo do tempo? Ou procurar por saídas que te permitam recuperar o tempo perdido de forma direta, e melhor ainda, natural?

Foi o que nosso amigo pensou também. E foi nessa hora que ele veio nos procurar.

A Solução Que Acabou Com os Problemas

“Recebi a indicação de um amigo sobre um livro do Baltasar Borges. A primeira ideia que veio na minha cabeça foi de loucura: como um livro ia me ajudar a acabar com a disfunção erétil? Não vou mentir que de cara eu recusei, achando que os medicamentos realmente fossem me ajudar.”

“Só que o tempo mostrou como eu estava errado. As noites até continuavam boas, no entanto eu sentia algo estranho. Como se estivesse faltando algo. Na verdade, estava mesmo: faltava aquele fogo que eu adorava ter com a minha esposa, e que ficou nesses malditos comprimidos.”

“Ainda com um pouco de relutância eu fui atrás do livro, que um amigo me recomendou como a solução que eu precisava. E ele tinha razão... Fiquei surpreso com a forma direta e bem explicada sobre o que é a disfunção erétil e como cuidar dela.”

Muita gente ainda fica na dúvida sobre buscar métodos naturais para combater a disfunção erétil e isso é perfeitamente compreensível. O que não falta são pessoas espertinhas se aproveitando de situações desagradáveis. Mas como nosso amigo bem relatou, a franqueza com que o assunto é tratado no livro dá uma outra visão.

Tratar a disfunção erétil de forma natural tem uma vantagem bem simples e importante. Você não dependerá de medicamentos nem de “soluções mágicas”. É tudo feito normalmente, seguindo o seu próprio ritmo e garantindo uma volta aos poucos das suas atividades normais.

O método do Baltasar Borges é tranquilo de se fazer, como você vai ver no livro. E se ainda duvida, veja só como nosso parceiro melhorou muito depois.

A Conclusão Positiva de Uma Boa História

“A melhora foi gradativa. Foquei em buscar entender a fonte dos meus problemas, e como trabalhá-los da firma mais adequada. O estresse no trampo não diminuiu tanto assim, mas pude lidar melhor com ele enquanto seguia o método do Baltasar. E nem vou falar das minhas noites com a patroa. A coisa mudou completamente de figura, e para melhor”.

Se você possui esse "probleminha chato", saiba que você também pode desfrutar neste tratamento jamais antes divulgados, e que está sendo escondido pelos bilionários das indústrias farmacêuticas, e isso é um absurdo...